Translate

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

35b. "O Protestantismo e o Espiritismo" por Benedito A. da Fonseca



35b
“O Protestantismo
e o Espiritismo”
                                                                                                                                         
por  Benedito A. da Fonseca
 Livraria Editora da Federação Espírita Brasileira
1941


            Os adversários referem-se também ao caso da moça obsidiada por Espíritos levianos, que era explorada pelos seus senhores interesseiros, como se vê em Atos, XVI: 16-18, que seguindo Paulo, Silas e Lucas, dizia: "Estes homens que nos anunciam o caminho da salvação, são servos de Deus altíssimo". Tomam esta passagem como argumento irrefutável, dizendo que, mesmo anunciando uma verdade, Paulo não admitia que aquele Espírito adivinhante continuasse a dizê-lo.

            '"Se Paulo expulsou o Espírito por Jesus Cristo, o espírito não podia ser de Deus, mas do diabo", porque Cristo não pode lançar fora Cristo, como Satanás não lança fora Satanás."

            E supõe que este argumento é um golpe mortal, infalível, que destrói pela base a doutrina do Espiritismo.

            Também o Sr. Antonio Ernesto chama a atenção para esta passagem, dizendo que Satanás, para mais facilmente enganar, falava a verdade, dando testemunho ao povo, dizendo que aqueles homens eram servos de Deus altíssimo e que anunciavam o caminho da salvação, tentando por essa forma iludir a boa fé dos incautos, e Paulo desmascarou o astucioso Satã, mandando-o sair da moça...
           
            Fortes argumentos!           

             E todos os que leem pela mesma cartilha dizem que tamanha lógica fecha a porta a toda e qualquer argumentação ... é o non plus ultra. Não há mais que dizer! Cui refragare nemo potest ...

....................

            Vejamos se podemos dizer alguma coisa que possa esclarecer esta passagem.

            Todos os que estudam os Evangelhos, sabem perfeitamente que, naqueles tempos, havia uma epidemia de obsessões. Os Espíritos obsessores atacavam grande número de pessoas que os atraiam como o imã atrai o ferro, tal como vemos em São Marcos, V: 1-8; São Mateus, XV: 22; S. Marcos, 1: 23-26; Mateus, XVII: 14-18; S. Marcos, XVI: 9; S. Lucas, X: .17; Atos, V: 16; S. Lucas, X: 20; Atos, XVI: 16.

            Provado está que naquele tempo havia muitas pessoas atacadas da doença que hoje a ciência médica oficial denomina histerismo, epilepsia, por lhe desconhecer a causa. Aquelas pessoas eram atacadas por Espíritos turbulentos (1) e entre essas pessoas obsidiadas havia algumas furiosas, que, arrastadas pelos Espíritos malignos, residiam nos cemitérios, entre os túmulos, ferindo-se com as pedras, uivando como animais, que ninguém podia amansar: quando as prendiam com cadeias de ferro, elas as partiam e se escapavam. Muitas dessas eram curadas por Jesus e seus discípulos. Aquela moça que tinha um Espírito adivinhante era uma doente, como são as muitas mulheres e homens epilépticos, que ainda hoje existem em todas as camadas sociais, Os possessos furiosos são encerrados nos manicômios: chamam-nos loucos: a maioria deles frequentava as igrejas, alguns eram incrédulos, outros irreligiosos e todos entregues a vícios vergonhosos, ou viviam vida irregular...  pessoas que não se davam a frequência sistemática de sessões espiritas!..

            (1) Pessoas que nunca se entregavam à prática de espiritismo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário