Translate

terça-feira, 6 de novembro de 2012

27b. "O Protestantismo e o Espiritismo" por Benedito A. da Fonseca



27b
“O Protestantismo
e o Espiritismo”
                                                                                                                                         
por  Benedito A. da Fonseca
 Livraria Editora da Federação Espírita Brasileira
1941


            Milhares de exemplares do tal folheto foram distribuídos profusamente no Rio de Janeiro e em São Paulo. É um auxiliar da propaganda espírita que os senhores da Califórnia nos mandaram, e oxalá que mandem imprimir e reimprimir mais alguns milhares, para maior propaganda, a fim de ir despertando todos os crentes protestantes para meditarem mais e investigarem a Escritura, a fim de destacarem da letra que mata o espirito que vivifica, isto é, desentranhar da letra da Bíblia o seu sentido oculto, espiritual, que só pode ser compreendido por quem foi batizado com o batismo de Jesus (1).

            (1) S. Mateus, III: 11; "Cristianismo e Espiritismo., L. Denis - Notas.

            As comunicações dos Espíritos do Senhor são patentes nas Escrituras Sagradas, como provei nos capítulos anteriores, na 1ª Parte desta carta aberta. Não existe somente o caso da comunicação de Samuel para confirmação das revelações do Senhor por meio dos médiuns bíblicos. O Espiritismo Senhor por meio dos médiuns bíblicos. O Espiritismo dos espíritas é o mesmo Espiritismo do Cristo. O Evangelho de São João é um documento de alto valor espiritual. É naquele Evangelho que encontramos as mais belas explicações que o Cristo fez da doutrina espírita.

            Vemos a continuação do Espiritismo entre os apóstolos, conforme se, lê nos Atos, conforme referi em capítulos anteriores.

            Quem ler com atenção os capítulos X e XI dos Atos dos Apóstolos, se convencerá de que os discípulos do Cristo recebiam ordens dos Espíritos, como nos casos de Pedro, Paulo, Felipe e outros.

            É grande engano dos senhores protestantes o suporem que os espíritas fazem evocações de mortos e chamam Espíritos. Nenhum espirita legítimo faz evocação de mortos. Somente fazem o que fazia Cornélio: orar. Assim como Deus enviou um Espírito a Cornélio, o centurião, também pode enviar e envia aos espiritas convictos, crentes e fervorosos, para dar-lhes explicações das palavras do Cristo, aconselhar para o bem, chamando a atenção para corrigi-los de algum vício dos que se encontram mencionados em I aos Coríntios, VI: 9-10.


Nenhum comentário:

Postar um comentário