Translate

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

22. "O Protestantismo e o Espiritismo" por Benedito A. da Fonseca


22
“O Protestantismo
e o Espiritismo”
                                                                                                                                         
por  Benedito A. da Fonseca
 Livraria Editora da Federação Espírita Brasileira
1941

CAPITULO XX

. ,. qui et idoneos non littera sed
spiritus littera emim occidit,
spiritu autem viviticat.
(Pauli ad Corinth. II cap. III, vers 6).


            Que estarão fazendo os espíritos dos apóstolos e ministros do Evangelho que passaram desta para outra vida? Não estarão continuando a desempenhar sua missão apostólica?

            Os pastores protestantes já pensaram no que hão de fazer quando se lhes fecharem os olhos carnais e se lhes abrirem os espirituais, lá do outro lado da vida? Não irão continuar no desempenho da sua missão evangélica?

            E se Jesus os incumbisse de pregar o Evangelho para esclarecimento e salvação, tanto de encarnados como de desencarnados, rejeitariam eles essa missão e discutiriam com o Cristo, dizendo ser isso impossível?

            Se assim não tiver de ser, que é então o que eles vão fazer, quando seus Espíritos deixarem a Terra o que a ela pertence? Irão ficar no céu, numa contemplação beatífica, tão inútil quão enfadonha, por toda a eternidade?

......................

            As seitas religiosas que interpretam a Escritura ao pé da letra, representam a criança que se alimenta de leite e não se desenvolve nunca; nunca se torna grande para alimentar-se de substancias mais fortes e nutritivas... ficam sendo sempre crianças; aprendendo sempre sem nunca chegar ao conhecimento da verdade, como dissera o apóstolo dos gentios!

            O Espiritismo é o que vivifica, a carne para nada aproveita. As palavras que eu vos digo, são espírito e vida, disse Jesus, em João, VI: 63.

            A letra mata e o espirito vivifica, disse Paulo, em II aos Coríntios, (III: 6).

            A letra matou o espirito dos interpretadores da Escritura e é por isso mesmo que ainda hoje, muitos estão confusos e nada sabem a respeito da vida de além-túmulo, e as teorias contraditórias das teologias, fazem as igrejas girarem num círculo vicioso; e por isso, inventando e multiplicando as hipóteses, subdividiram aos milhares as seitas protestantes que se contradizem. Um reino que se divide contra si mesmo não pode subsistir, disse Jesus Cristo. As seitas todas, guerreando-se mutuamente, acabarão por se destruírem e desaparecerem.

            Só a doutrina de Jesus, ensinada na Escritura e interpretada pelo Espirito da Verdade, permanecerá, tão pura como no-la legou o Mestre; firme como a rocha, et porta inferi non prevalebunt adversus eam.

            Houve um tempo em que as igrejas protestantes encheram-se de prosélitos  batizados e de há vinte anos para cá se tem arrefecido esse entusiasmo, porque, milhares dos que conheceram o Evangelho começaram a estudar e aprofundar as Escrituras e, meditando em silencio, sem seguirem as tortuosidades das falsas interpretações, não se satisfazendo com pregações repetidas, batidas sempre no mesmo terreno, como as ondas do mar na mesma rocha, sem nunca a modificarem, pediram explicações aos ministros que sempre respondem com evasivas às objeções apresentadas e assim, esses desertaram, achando na doutrina do espiritismo científico as chaves com que lhes foram abertas as portas das inúmeras questões que as seitas não podiam resolver, recebendo por essa doutrina, ensinamentos claros, com razões inconfundíveis, sem absurdos, cientificamente de acordo com a justiça, misericórdia, bondade e sabedoria infinitas do Criador.

            Eis a razão da deserção.

            Nem todos se conservam na teoria protestante. Muitos se enfastiam e procuram satisfazer a sede que os devora, em fontes verdadeiras.

            Igrejas antigas, onde têm sido recebidos, no decurso de muitos anos, em comunhão, milhares de adeptos, nelas hoje se vê, em dias e noites de culto, um punhado muito limitado de crentes!

            Onde está a maioria?

            Desertou!

            Se formos procurar a causa e onde estão esses crentes, esses desertores, iremos encontrá-los entre os espíritas, pelo motivo de haverem achado no Espiritismo a doutrina das Escrituras, de acordo com a justiça de Deus. Deixaram de ser protestantes para serem cristãos, sem seitas e sem dogmas.

            O dogma é uma corrente de ferro que prende o homem, cerceia lhe a liberdade e impede lhe o desenvolvimento para a espiritualidade.

            O Rev. Pastor, autor do folheto contra a doutrina espirita, porventura já estudou as obras fundamentais e todos os tratados e comentários que têm feito em torno delas os sábios que não sejam os seus inimigos católicos e protestantes? Procurou ele as razões e aprofundou todos os seus pormenores, pesquisando paciente e desapaixonadamente os fenômenos psíquicos e magnéticos que lhes são correlatos?

            Enquanto estiver imitando e repetindo tudo o que encontra nos tratados protestantes, e o juízo que estes já têm formulado contra a doutrina e tão somente no seio do protestantismo, e não fora dele, o Rev. Pastor nunca terá palavras retas e
ajuizadas para julgar uma doutrina que só conhece superficialmente.

            O protestantismo tem, prestado grande serviço à humanidade. Isso é inegável. Foi ao protestantismo que, em tempo próprio, Deus confiou a missão de traduzir e espalhar Bíblias em todas as línguas. O protestantismo foi o precursor do espiritismo, como São João Batista o foi do Cristo (1).

            (1) Foi por ouvir pregações protestantes que há 40 anos eu deixei o catolicismo romano.

            Por meio do protestantismo muitos acertam com a vereda. Cada coisa em seu tempo próprio: Os frades também tiveram a sua época e fizeram muita catequese; foram os primeiros que prepararam o caminho em tempo próprio.

            A Cesar o que é de Cesar.

            Por meio do protestantismo, muitos acham a pérola de grande preço, porque, os que estudam as Escrituras sem ideias preconcebidas estão mais perto da verdade do que os indiferentes. Respeito os protestantes, como servos de Deus e irmãos em Jesus, e oxalá que eles compreendessem os tesouros, as maravilhas que o Senhor tem reservado para os seus servos fiéis e verdadeiros.

            Digo, porém, que não viram e nem ouviram ainda o que muitos profetas e reis desejaram ver e não viram, e ouvir e não ouviram, no dizer do Mestre.

* * *

            Enquanto os protestantes continuarem a dizer que o espiritismo é a doutrina dos demônios, continuam imitando os fariseus, que acusavam a Jesus classificando-o como endemoninhado: A Jesus diziam eles: "Tem demônio"! Aos espiritas, dizem os protestantes: “Tem demônio"! E nós os espíritas dizemos: "Perdoai-lhes, Pai, porque eles não sabem o que dizem". E assim procuramos o reino de Deus e a sua justiça. (Mateus, V: 48 e VI: 33).



Um comentário:

  1. Muito bom! Ao que quer leite, leite. Ao que quer alimento sólido, solidez!

    ResponderExcluir